O Destino dos Heróis

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Destino dos Heróis

Mensagem por Xande em Dom Jul 25, 2010 7:55 pm

A Vida e a morte dos heróis que integraram a Aliança Eterna e seus subgrupos nos últimos 11 anos (ano atual: 1384 CV).



Alias e Isca de Dragão
Após voltarem do Plano Arena dos aresianos (1373 CV), juntamente com os demais membros da Aliança Eterna, os dois voltaram a se aventurar pelas Terras dos Vales. Eles foram responsáveis pela morte de um agente dos vultos em Arabel (1374 CV) e protegeram o Vale Perdido de um ataque dos goblinóides de Tethyamar (1375 CV), sob o comando da líder Kara Chermosk, dos Zhentarim. Logo depois, eles retornaram ao vale da Adaga, a pedido de Faigon, para comporem o grupo de aventureiros que deveria viajar até Baator para resgatar Max dos domínios de Iblis, o Caído (1375 CV). Anos mais tarde, os dois integraram juntamente com Yuki o grupo liderado por Sidarta que viajou para Baator para descobrir o destino de Faigon (1378 CV). Depois destes eventos, Alias e Isca de Dragão retornaram para o Vale Perdido e não foram mais vistos até recentemente, quando os dois se juntaram a Thorin na investida pela retomada das minas de Tethyamar (1383 CV).



Arthur (Daniel)
Arthur passou boa parte dos últimos dez anos lutando em Cormanthor, assumindo o posto de general das tropas élficas de Argonath, após a morte de Percival e Finrod (1373 CV). Ele ajudou a defender Árvore Élfica de ataques sucessivos dos drow da Casa Jaelre e seus aliados zhentarim, e dos fey'ri da casa Dlardrageth (1373-1375 CV). Quando a Cruzada de Encontro Eterno chegou à Cormathor (1376 CV), Arthur ofereceu suporte e foi decisivo em muitas das batalhas na floresta. Após a vitória dos elfos sobre seus inimigos e a restituição de Myth Drannor (1377 CV), Arthur foi nomeado como um dos conselheiros da coronal Ilsevele Miritar, uma grande honra que ele prontamente aceitou.



Calvin (NPC/André)
Calvin continuou atuando como conselheiro de Faigon por algum tempo após seu retorno do Plano Arena, até retornar para Chult, sua terra natal, quando ele previu que Sseth, o Deus Serpente, se libertaria de seu aprisionamento no Abismo e retornaria para Toril (1374 CV), uma ameaça que ele ajudou a impedir. Logo depois destes eventos, no mesmo ano, ele foi surpreendido e assassinado por Elendae Ereinion e seus assecclas vampiros, em mais um ataque da Sociedade das Sombras contra membros da Aliança Eterna. Calvin retornou como um vampiro, mas ainda é leal á Aliança Eterna.



Chrystin (Watson)
Após retornar do Plano Arena aresiano (1373 CV), Chrystin retornou ao Vale da Cicatriz a fim de auxiliar Jezebhell a finalmente livrar a região da infulência de Sembia e dos Zhentarim.  No Dia das Fogueiras, os dois, juntamente com Druffs e Lady Myriam lideraram um exército popular contra os ocupantes indesejados do Vale, ateando fogo em suas guarnições e depósitos e no pequeno porto da Cidade da Cicatriz (1374 CV). Druffs e Myriam morreram atingidos por magias de uma Mago do Céu Zhentarim, que por sua vez foi estrangulado por Chrystin. Ele e Jezebhell ainda repeliram outras tentativas da Rede Negra de restabelecer influência no Vale da Cicatriz (1374-1375 CV), até serem convocados por Faigon para integrar o contigente que deveria ir até Baator para resgatar Max (1375 CV). Depois disso, Chrystin retornou para o Vale da Cicatriz para continuar atuando em sua proteção. A guerra civil que estourou em Sembia (1374 CV) e o fato dos olhos dos Zhentarim estarem agora mais direcionados para a conquista do Vale das Sombras (1375 CV), desviou a atenção de ambas forças do Vale da Cicatriz, que viveu dias de paz até o retorno dos interesses dos Zhentarim na região. Hoje, Chrystin é um dos principais defensores do Vale, desde o desaparecimento de Jezebhell no Plano das Sombras (1378 CV).



Dalaemor (Cidade)
De volta a Faerûn após seu aprisionamento no Plano Arena dos aresianos (1373 CV), Dalaemor se tornou mais recluso em sua torre no Vale da Adaga e raramente aparecia, a não ser em casos de extrema importância, como quando a Sociedade das Sombras voltou a atacar a Aliança Eterna (1374-1375 CV) e quando ele foi escolhido para proteger a Torre da Aliança e manter a estabilidade do portal criado por Sidarta para o grupo viajar até Baator, a fim de resgatar Max (1375 CV). Em seu abrigo solitário, conversando com seres extra-palanares que mantinha como prisioneiros, ele descobriu a existência das Tábulas da Antigo Segredo, um artefato menor que supostamente descreve a verdadeira origem do Multiverso e da natureza dos deuses (1378 CV). Dalaemor se tornou obcecado pelo tomo e viajou pelos planos em busca de pistas que poderiam lhe levar até o item, não sendo mais visto desde então (1379-1384 CV). Alguns acham que sua obsessão o dominou por completo e o enlouqueceu, outros dizem que ele talvez tenha encontrado o que procurava... para sua própria ruína.



Faigon (André)
Os dias seguintes a volta da Aliança Eterna do Plano Arena (1373 CV) foram bastantes conturbados para Faigon. Primeiro, seu filho foi raptado por um poderoso cornugon chamado Felkorr, a serviço da Sociedade das Sombras. O baatezu deixara instruções de que Faigon deveria ir sozinho até o local onde haveria uma troca pelo menino. A negociação, que envolvia uma ato de traição à Aliança Eterna, não foi a frente, pois Faigon preferiu arriscar a vida do seu filho do que ceder às exigências da Sociedade das Sombras. Faigon enfrentou Felkorr e o baniu para Baator, conseguindo ainda salvar seu filho. Os ataques da Sociedade se tornaram mais fortes e constantes nos anos seguintes (1374-1375 CV), mas a Aliança Eterna finalmente conseguiu derrotar seus inimigos, quando o próprio Diamabel, líder da Sociedade das Sombras foi destruído por Faigon e Sidarta, em uma batalha que foi levada até o primeiro círculo de Baator. (1375 CV). No mesmo ano, ele convocou a Aliança Eterna para formarem uma força tarefa com o objetivo de resgatar Max dos domínios de Iblis. Anos depois, Iblis, o caído se libertou de seu aprisonamento em Baator e surgiu para se vingar de toda Aliança, possuindo o corpo de Sidarta e o seu imenso poder arcano (1378 CV). Faigon e a Aliança confrontaram o terrível inimigo e seus asscelas e libertaram Sidarta, mas a luta do guerreiro e do anjo caído continuou até os dois cairem em um portal aberto pelos diabos, que os levou para o plano inferior das Desolações da Destruição e do Desespero. Os dois oponentes épicos caíram como duas estrelas cadentes em um imenso precipício sem fundo e nunca mais foram encontrados.



Gharok (Lúcio)
Após a morte de Atha no zigurate de Shakyra (1373 CV), Gharok resolveu se aposentar da vida de aventureiro e passou a cuidar da taverna de sua amiga, no Vale da Névoa, até que um ataque drow causou grande destruição na cidade, incluindo o estabelecimento (1374 CV). Gharok então resolveu novamente pegar em armas e se juntou a Thorin em Cormanthor. Quando Thorin partiu em uma missão para resgatar a meia-elfa Kirin, ele colocou Gharok em seu lugar como líder de campo de seu contingente de guerrilheiros anões até o seu retorno. O anão participou de várias confrontos contra os drow e os fey'ri, até ser morto enquanto salvava a vida de um elfo (1376 CV). Ele foi levado para Myth Drannor onde seu corpo foi sepultado com grande honrarias (1377 CV).



Jezebhell (NPC/Oscar)
Uma dos poucos da Aliança Eterna que não foram para o Mundo Arena dos aresianos, Jezebhell atuou como defensora do Vale da Cicatriz até ajudar a libertar a região das influências sembiana e zhentarim, no Dia das Fogueiras (1374 CV). A clériga de Chauntea, juntamente com Sidarta, venceu o vampiro Elendae Ereinion em grande combate aéreo sobre o céu enluarado sobre o vale da Adaga, ajudandoa por fim à Sociedade das Sombras (1375 CV) e integrou o grupo que foi até Baator libertar Max (1375 CV). Depois do desaparecimento de Faigon nas Desolações do Destruilção e do Desespero, Jezebhell tomou a liderança de um grupo que deveria viajar até o abismo onde ele havia caído juntamente com Íblis (1378 CV), e lá foram atacados por criaturas de sombras que habitavam a escuridão do precipício. Para que o grupo pudesse continuar a busca, ela fcou para trás confrontando as criaturas, mas foi tragada para as sombras escuras nas rochas e arrastada até um portal criado por elas para o Plano das Sombras. Sarah e Wendell voltaram para tentar resgata-la e cruzaram o portal, mas não a encontraram mais na escuridão do Plano das Sombras. Até hoje, o paradeiro de Jezebhell é desconhecido.



Kadijah (Shakyra) (NPC)
Após sua libertação da possessão da entidade sombria Shakyra, a maga zakharana Kadijah se juntou à Aliança Eterna (1373 CV), e se tornou professora na escola de magia criada por Sidarta, juntamente com seu marido, kajhal. Ela também foi um dos poucos membros da Aliança Eterna que não foram sequestrados e levados para o Plano Arena e nem fez parte do grupo que integrou a equipe formada para resgatar Max em Baator, mas sua participação na luta contra a Sociedade das Sombras foram significativas, incluindo a destruição do portal criado por Diamabel para convocar seus reforços de Baator e conjurando magias que auxiliaram Jezebhell a batalhar em igualdade de condições o vampiro Elendae Ereinion no ar (1375 CV). Juntamente com Symannes, Dalaemor e seu marido, ela ficou na Torre, defendendo-a e mantendo o portal de Sidarta para Baator estável (1375 CV). Anos depois, Kadijah integrou o grupo liderado por Jezebhell que viajou para as Desolações da Destruilção e do Desespero para descobrir o destino de Faigon e Íblis, juntamente com Wendell, Sarah, Sybelle e Vercingetorix (1378 CV)



Kajhal (NPC)
O mago zakharano Kajhal se tornou professor da escola de magia de Sidarta juntamente com sua esposa Kadijah, após ela ter sido libertada da possessão de Shakyra (1373 CV). Ele também foi um dos poucos membros da Aliança Eterna que não foi levado prisioneiro pelos aresianos para o Plano Arena e nem fez parte do grupo que integrou a equipe formada para resgatar Max em Baator. Juntamente com Kadijah, Symannes e Dalaemor , ele ficou na Torre, defendendo-a e mantendo o portal de Sidarta para Baator estável (1375 CV). Anos depois, Kajhal integrou o grupo liderado por Symannes, que viajou para o Abismo para descobrir o destino de Faigon e Íblis, juntamente com Neo D'orien, Schneider e Mystica (1378 CV).



Max (Marcelo)
Desde o inverno de 1372 CV aprisionado na torre do terrível anjo caído Íblis, em Baator, Max foi finalmente libertado por seus companheiros em 1375 CV. Ele passou o ano seguinte em retiro de purificação auto-imposta e reintegrou o grupo logo depois (1377 CV). Quando Íblis se libertou de Baator e tentou se vingar da Aliança Eterna, Max foi o responsável por aprimorar magicamente as habilidades de Faigon e curar seus ferimentos no combate do guerreiro contra o demônio (1378 CV). Max se culpou pelo ataque de Íblis à Aliança e ao acontecido com Faigon e passou a se dedicar incansavelmente na procura por pistas sobre o destino do amigo. Juntamente com Sidarta, ele encontrou alguns indícios deste destino e possíveis caminhos que poderiam leva-los até Faigon. Ele idealizou a divisão da Aliança Eterna em grupos, um liderado por Symannes, um por Jezebhell e outro por Sidarta, enquanto ele e a arthurea Narya, com quem havia criado um forte elo, coordenavam as buscas e faziam missões paralelas. A Aliança Eterna ainda não encontrou Faigon e nem sabe seu destino. Além disso, já perdeu outro membro, Jezebhell, durante nas buscas, mas Max tenta manter vivas as esperanças do grupo e continua com as buscas, pois tem fé de que Faigon será encontrado com vida.



Mystica e Vercingetorix (Marcelo e Jorge)
Passaram a útima década depois do retorno do Plano Arena se aventurando na região de Cormyr e Sembia, geralmente a serviço da ex-regente de Cormyr, a Senhora Alusair Obarskyr e do rei Azoun V e foram responsáveis pelo desmantelamento de vários esquemas e tramas tecidos por inimigos do reino, fossem de Sembia, dos Vultos ou internos. Os dois atuaram como agentes da Aliança Eterna nos acontecimentos do reino e reportavam tudo a Faigon e Sidarta (1374-1378 CV). Os dois também integraram grupos que viajaram pelos planos inferiores a procura de Faigon (1378 CV) e recentemente foram condecorados heróis em Cormyr, ganhando terras e títulos e o comando de tropas do exército dos Dragões Púrpuras (1382 CV).



Neo D'orien (Coringa)
Depois de deixar a Aliança Brilhante a pedido de Sidarta, o drow Neo D'orien participou de várias missões para o mago no subterrâneo, a procura dos cristais cósmicos e de certas informações sobre uma possível aliança entre os drow e os zhentarins (1373 CV). Assim como muitos membros da Aliança Eterna e da Aliança Brilhante, Neo D'orien foi levado para o Plano Arena dos aresianos (1373 CV). Dois anos depois, ele enfrentou e quase foi morto por Elendae Ereinion, mas escapou, mesmo que muito ferido, quando Sidarta e Jezebhell engajaram em combate com o vampiro. Curado por Sybelle, ele retornou ao combate e ajudou Sarah e Symannes a destruir a poderosa erynies Khayra, Senhora das Correntes, em um grande confronto (1375 CV). Neo D'orien também viajou até Baator com a Aliança Eterna para resgatar Max (1375 CV), mas não voltou com o grupo para o Plano Material, ficando em Baator para resolver assuntos próprios, juntamente com a bela ladina tiefling Shaila. Ele retornou ao Vale da Adaga anos depois, fugindo de assassinos tieflings enviados por um auto nobre do inferno chamado Golabus para matar Shaila e seu aliado drow (1377 CV), mas não antes de terem roubado do baatezu o Coração de Gurikiil, uma jóia flamejante que dizem ter o poder de elevar as capacidades físicas e mentais do seu dono. Quando Shaila sumiu com a jóia, Neo D'orien jurou que ela pegaria pela traição, mas descobriu dias depois que ela apenas queria mante-lo longe dos assassinos até que ela conseguisse despista-los. No ano seguinte, o drow integrou o grupo liderado por Symannes, que viajou para o Abismo para descobrir o destino de Faigon e Íblis, juntamente com Schneider, Mystica e Kajhal (1378 CV). Ele abandonou as buscas por Faigon logo depois, dedicando-se a encontrar Shaila, mas descobriu que ele fora morta pelo antigo dono do Coração de Gurikiil (1380 CV). Max ressuscita a tiefling e ela passa a integrar a Aliança Eterna por um tempo, mas logo ela e Neo D'orien retomaram os planos de recuperar a jóia infernal e “dar o troco” em Golabus (1383 CV).

Nuala (Flávia)
A pequena pixie Nuala lutou nas guerras de Cormanthor, quase sempre ao lado de seus amigos Thorin, Ruan Primo e Arthur, até passar a liderar um pequeno destacamento de pixies que empregavam táticas mágicas de guerrilha, tanto contra os drow quanto os fey'ri, e atuavam como infiltradores e armadilheiros (1373-1377 CV). Ela também integrou o grupo que foi até Baator libertar Max (1375 CV) e retornou para o Plano Matreial e à guerra contra os drow em Cormanthor. Após a vitória dos elfos sobre seus inimigos e a restituição de Myth Drannor (1377 CV), Nuala foi nomeada como uma dos conselheiros da coronal Ilsevele Miritar. No entanto, ela abdicou da posição cinco anos depois, para se juntar a Throin em sua campanha para retomar Thetyamar (1383 CV). Depois destes eventos, Nuala viajou ara Faerie, o Reino das Fadas, procurando viver em paz, longe dos conflitos, levando com ela fama e ouro (1384 CV). Vez por outra ela ainda volta para visitar os amigos no Plano Material.

Percival (Russo)
Antes da chegada da Cruzada de Encontro Eterno a Cormanthor, um grupo de elfos e eladrins realizaram um ritual sagrado pedidno a Corellon, deus dos elfos, que enviasse a força dos heróis do passado de Cormanthor que tombaram lutarando contra os drow para auxilia-los contra seus inimigos na floresta. O deus então respondeu a súplica e enviou três grandes guerreiros mortos de volta à vida e, entre eles, Percival (1375 CV). Assumindo um novo corpo, Percival lutou ao lado de seu velho amigo Arthur em Árvore Élfica e recebeu de volta o comando de sua antiga tropa de guerreiros élficos, obtendo importantes vitórias, incluindo uma bem sucedida invasão aos subterrâneos, a destruição de vários portais drow e fey'ri na Corte Élfica e a expulsão dos inimigos do Vale da Névoa (1375-1377 CV). Após a vitória dos elfos sobre seus inimigos e a restituição de Myth Drannor, foi dada a Percival a opção de permanecer no Plano Material e retomar sua vida, mas ele decidiu voltar para Arvandor e o pós-vida de paz ao lado de Khennya, de quem já sentia falta, recusando inclusive um alto posto no reino (1377 CV). Uma árvore prateada foi plantada em sua homenagem (1378 CV) e ainda é possível para Ruan Primo, Thorin e Arthur conversarem com ele, Khennya e Finrod através dela.

Ruan Primo (Fernando)
Ao retornar do Plano Arena com os demais membros da Aliança Eterna (1373 CV), Ruan, juntamente com Thorin, Nuala e Arthur retornaram para Cormanthor e retomaram a luta contra os drows. Lá eles encontraram novos inimigos, os fey'ri da Casa Dlardrageth. Ruan Primo atuou como inflitrador e espião, principalmente como parte do grupo formado por seus companheiros da Aliança Eterna atuando em Cormanthor (1373-1375 CV). Ele também integrou o grupo que foi até Baator libertar Max (1375 CV) e na volta foi nomeado um líder na guerra de Cormanthor. Após a vitória dos elfos sobre seus inimigos e a restituição de Myth Drannor (1377 CV), Ruan foi nomeado como um dos conselheiros da coronal Ilsevele Miritar e o representante máximo dos humanos no reino e recentemente (1383 CV) noivou com a meia-elfa Kirin, que ele havia libertado, ao lado de Thorin, das mãos dos drow.

Sarah (Peti)
Ao retornar do Plano Arena, Sarah reassumiu seu posto como capitã da guarda da Torre da Aliança e do Vale da Adaga (1373 CV), principalmente treinando novos recrutas e soldados. Assim como Schneider, ela foi responsável por importantes vitórias contra agentes zhentarins (1373 -1380 CV). Quando o filho de Faigon foi sequestrado pelo cornugon Felkorr, Sarah tentou impedir, mas foi cercada pelos hamatulas asseclas do baatezu (1373 CV). Culpando-se pelo rapto do rapaz, Sarah pediu para ser deposta de seu cargo, mas o pedido foi recusado por Randal Morn e Faigon, que não a culpou. Anos depois, com uma pequena ajuda de Yuki, ela desmascarou um espião da Rede Negra na Torre, disfarçado como um emissário do Vale da Névoa, o anão Drun Jurdeng, e o matou em duelo exigido pelo vilão (1374 CV). Foi Sarah quem também desferiu o golpe derradeiro que destruiu a erynies Khayra, Senhora das Correntes, da Sociedade das Sombras (1375 CV). A capitã assumiu como líder de campo do grupo que foi até Baator resgatar Max, pois conhecia o local melhor que os demais, por já ter estado lá antes (1375 CV). Quando Max e Sidarta dividiram a Aliança Eterna em grupos para buscar pistas sobre o destino de Faigon e Íblis nas Desolações da Destruição e do Desespero, Sarah fez parte do grupo liderado por Jezebhell, juntamente com Wendell, Kadijah, Sybelle e Vercingetorix. Quando as buscas pelo líder da Aliança Eterna diminuíram de intensidade, ela viajou para Cormyr, para treinar o filho de Symannes e Faigon, a pedido da mãe dele (1382 CV) e descobriu que o menino possuía sangue imortal e poderes latentes acima de um humano comum, um mistério até hoje não desvendado pela Aliança Eterna. Sarah então passou a treinar ainda mais suas próprias habilidades para se tornar uma guardiã para o jovem. No início deste ano, ela sem querer se envolveu em um esquema de agentes nethereses em Cormyr e foi a responsável pela revelação do mesmo (que envolvia, entre outras coisas, assassinatos de alguns nobres) para o rei Azoun V (1384 CV).

Schneider (NPC/Marcelo)
Como quase todos os membros da Aliança Eterna, Schneider foi abduzido para o Plano Arena dos aresianos (1373 CV). Depois de seu retorno, ele liderou inúmeras vezes companhias montadas contra tropas zhentarins no vale da Adaga e foi o responsável por manter livres as terras próximas à Torre da Aliança, no Vale da Adaga. Alguns anos atrás (1380 CV), ele recebeu o título de Cavaleiro da Adaga, pelo próprio Lorde Morn, um título possuído apenas por Faigon, devido às suas muitas vitórias sobre os orcs zhentarins, (resultando na expulsão da Rede Negra de Cataratas da Adaga) e a erradicação das crias vampíricas que assolaram o vale (1373-1380 CV). O cavaleiro também integrou o grupo que foi até Baator libertar Max (1375 CV) e o grupo liderado por Symannes, que viajou para o Abismo para descobrir o destino de Faigon e Íblis, juntamente com Max, Mystica, Neo D'orien e Kajhal (1378 CV). Schneider casou-se com a camponesa Yulia (1376 CV) e com ela tem três filhos, mas dizem que ele continua cortejando as outras moças da região às escondidas...

Sidarta (Jorge)
Sidarta tratou logo de reforçar as defesas da Torre da Aliança quando o grupo retornou do Plano Arena (1373 CV). Ele também procurou manter, o máximo que podia, os olhos nos membros da Aliança Brilhante, preocupado com uma possível corrupção de seus caráteres devido ao grande poder que eles começaram a acumular, primeiro na forma dos Cristais Cósmicos que juntavam e depois na forma de seus sempre crescentes poderes divinos, tentando utilizar até mesmo Vuorenos como um espião (1373 CV). No entanto, quando eles atingiram o status de semi-deuses, o mago percebeu que não podia mais fazer muto para vigia-los, quanto mais refreá-los se fosse preciso. Sidarta passou a se dedicar ainda mais aos estudos arcanos com o intuito de aprimorar seu poder e desenvolver magias épicas capazes de lhe por em melhores condições de enfrentar grandes ameaças (1373-1375 CV). E a ameaça chegou, não na forma de uma corrompida Lorena, Cassandra ou Herpes, mas na forma da Sociedade das Sombras. Após vários confrontos entre a Aliança Eterna e seus inimigos (1374-1375 CV), a Aliança Eterna finalmente conseguiu derrotar seus inimigos, quando o próprio Diamabel, o Lorde das Profundezas líder da Sociedade das Sombras, é destruído por ele e Faigon, em uma batalha que foi levada até o primeiro círculo de Baator (1375 CV). No mesmo ano, Faigon convocou a Aliança Eterna para formarem uma força tarefa com o objetivo de resgatar Max dos domínios de Iblis. Anos depois, Iblis, o Caído, se liberta de seu aprisionamento em Baator e surge para se vingar de toda a Aliança, possuindo o corpo de Sidarta e o seu imenso poder arcano (1378 CV). Faigon e a Aliança confrontaram o terrível inimigo e seus asscelas e libertam Sidarta, mas a luta do guerreiro e o do anjo caído continuou até ambos caírem em um portal aberto pelos diabos, que os levou para o plano inferior das Desolações da Destruição e do Desespero. Sidarta liderou o grupo que viajou para Baator para descobrir o destino de Faigon e Íblis, composto por Alias, Isca de Dragão e Yuki (1378 CV) e passou a se dedicar também à descoberta do paradeiro de Dalaemor e Jezebhell, auxiliado por Narya (1379-1384 CV)

Sybelle (NPC/Jorge)
Sybelle visitava parentes no plano de Faerie, o Mundo das fadas, quando a Aliança Eterna e a Aliança Brilhante foram levados para o Plano Arena e por isso ela foi um dos poucos membros a não ter sido levado prisioneira ara pra lá (1373 CV). Em Faerie, após passar com êxito por diversas provas de habilidade, ela reconquistou o direito de reclamar título de princesa do pequeno reino pixie de Lannyra. De volta ao Plano Material, ela viajou até seu pequeno reino para reapresentar-se diante da rainha Cherryalle da casa real Andaryana, sua mãe, que a havia banido do reino a mais de 120 anos (1374 CV). Chegando em Lannyra, ela soube que sua mãe havia sido assassinada e descobriu que a morte de sua mãe fora encomendada pela velha casa rival Ankhajara, que assumiu então o Trono de Cristal com a morte da rainha. A pixie então reuniu um exército de fadas, com a ajuda do sátiro Kurtic, seu novo romance, e iniciou um sangrento conflito contra a casa Ankajara, que resultou na retomada do poder pela casa Andaryana (1375 CV). À Sybelle foi oferecida a coroa, mas ela recusou em prol de sua irmã mais velha, Danayra, para voltar á Aliança Eterna. A pequena fada também integrou o grupo que foi até Baator libertar Max (1375 CV)  e o grupo liderado por Jezebhell, que viajou para as Desolações da Destruição e do Desespero para descobrir o destino de Faigon e Íblis,  juntamente com Wendell, Sarah, Kadijah e Vercingetorix (1378 CV). Recentemente, ela foi enviada por Sidarta para procurar por de Dalaemor em alguns planos exteriores, juntamente com seu amado Kurtic (1384 CV), mas ainda não encontraram pistas concretas que possam levar ao mago.

Symannes (NPC/André)
Após o retorno do Plano Arena (1373 CV), Symannes passou pelos piores dias de sua vida, pois seu filho com Faigon fora raptado pelo terrível cornugon Felkorr, assecla de Diamabel, o líder da Sociedade das Sombras. Faigon conseguiu resgatar o menino após derrotar Felkorr e Saymannes o levou para Cormyr, deixando-o sob os cuidados dos corvos vermelhos, a fim de mante-lo longe dos ataques dos inimigos da Aliança Eterna (1373 CV). Com o consentimento de Faigon, Symannes se afastou da Aliança Eterna para treinar seu filho junto com os Corvos Vermelhos, mas retornou ao grupo quando os ataques da Sociedade das Sombras sobre a Aliança se tornaram mais constantes e perigosos, até que os terríveis inimigos serem finalmente derrotados (1374-1375CV). Symamnes não viajou para Baator para resgatar Max, permanecendo no Plano Matreial para proteger a Torre e os arcanos que ficaram para manter a estabilidade do portal de Sidarta (1375 CV). Após a queda de Faigon e Íblis em um precipício aparentemente sem fundo nas Desolações da Destruição e do Desespero, Symannes liderou o grupo formado por  Schneider, Mystica, Neo D'orien e Kajhal, que viajou até o Abismo seguindo pistas do destino do seu marido (1378 CV). De volta ao Plano Material, a guerreira retomou as buscas várias vezes, mas sem muito sucesso e ela já começa a mostrar sinais de que está perdendo as esperanças de reencontrar Faigon, vivo ou morto (1378-1384 CV). Atualmente,e la se concentra na proteção e no treinamento do filho, após Sarah ter descoberto que o menino possui poderes e habilidades excepcionais.

Thorin (Son)
Assim como Arthur e Ruan Primo, Thorin passou a maior parte da última década lutando em Cormanthor, assumindo o posto de general de Argonath após a morte de Percival e Finrod (1373 CV). Geralmente, Thorin e seus companheiros, como Nuala e Ruan, participavam de missões importantes, nos quais um pequeno, mas habilidoso grupo, era mais eficiente do que um grande tropa. Entre elas está a rescuperação da lança relâmpago das mãos dos fey'ri  e o resgate da meia-elfa Kirin (capturada pelos drows do Clã Auzkovyn), que o presenteou com a antiga jóia mágica chamada estrela kiriniara. Quando a Cruzada de Encontro Eterno chegou à Cormathor (1376 CV), Thorin foi decisivo em muitas das batalhas na floresta. Após a vitória dos elfos sobre seus inimigos e a restituição de Myth Drannor (1377 CV), o anão foi nomeado como um dos conselheiros da coronal Ilsevele Miritar, e a ele foi oferecido a posição de representante máximo dos anões no reino. No entanto, Thorin humildemente recusa a oferta e juntamente com seus antigos amigos Thorik, Dorn e Danaryn, os quais havia reencontrado durante as batalhas em Cormanthor, e de sua pequena amiga Nuala, parte para formar um exército com o objetivo de retomar as Minas de Tethyamar. Sua atuação na guerra de Cormanthor lhe rendeu muita fama e com ela, muitos seguidores. Em 1382 CV, Thorin cruza as Montanhas da Boca do Deserto juntamente com seus companheiros anões e a pequena Nuala, liderando um exército de anões determinados. Após conflitos nas colinas contra tropas zhentarins, eles chegam a Tethyamar, onde recebem a adesão dos sauróides liderados por Alias e Isca de Dragão. Após um conflito que durou quase todo o inverno, Throin, Dorn e os outros expulsam os orcs e ogros da antiga mina (1383 CV) e derrotam a líder militar zhentarim, Kara Chermosk. Os anões das antigas casas sobreviventes de Tethyamar proclamaram Thorin como o Rei de Nova Tethyamar, mas ele abdicou da honra em nome de Thorik, parente de último rei. Durante a guerra do Ouro e da Escuridão, entre anões e duergars (desencadeada quando Moradin liderou os deuses anões numa cruzada contra as divindades dos anões cinzentos), Thorin liderou uma tropa de anões que cruzou um portal para o Subterrâneo, onde destruiram um enclave de Devoradores de Mentes, libertando vários escravos anões e duergar (1383 CV). Atualmente, Thorin marcha junto com o Exército de Ouro para as ruínas da Antiga Shanatar, onde estabelecerão um bastião de defesa contra os devoradores de mentes.

Wendell (Peti)
Wendell retornou do Plano Arena dos aresianos apenas para encontrar a sua Horda Sangrenta dizimada em um confronto com orcs, ogres e demônios sob o controle do próprio Manshoon no Percurso (1373 CV). Jurando vingança, ele retornou a Aliança Eterna quando soube do rapto do filho de Faigon pelo cornugon Felkorr da Sociedade das Sombras, participando de todos os confrontos entre a Aliança Eterna e a Sociedade, tendo inclusive descoberto, junto com Yuki, o novo covil do vampiro Elendae Ereinion (1375 CV). Os dois destruíram as crias vampíricas de Elendae no covil, mas Yuki saiu gravemente ferida no confronto com o vampiro, sendo salva por Wendell às portas da morte. A ninja então retoma o treinamento do robgoblin, aperfeiçoando suas capacidades furtivas em combate (1375-1378 CV). Wendell viajou para Baator com a maioria dos membros da Aliança para resgatar Max dos domínios de Íblis (1375 CV), sendo ele o responsável pela destruição da ligação empática que mantinha Max preso na mente do anjo caído, ao causar a grande explosão que fez desabar a Torre do Caído. Wendell integrou o grupo liderado por Jezebhell, que viajou para as Desolações da Destruição e do Desespero para descobrir o destino de Faigon e Íblis, juntamente com Sarah, Sybelle, Kadijah e Vercingetorix (1378 CV). Quando Jezebhell foi tragada pelo Plano das Sombras, ele e Sarah tentaram segui-la a fim de resgata-la, mas após lutarem com dezenas criaturas das sombras, perderam o rastro da clériga e retornaram. Anos depois, Wendell retornou ao Percurso e iniciou a reunião de uma nova Horda Sangrenta, inclusive com ex-membros dos goblinóides que Thorin e os anões expulsaram de Tethyamar e alguns ogres e gigantes da colina (1384 CV). Wendell pretende se unir com os ogres do Thar e tentar formar um grande exército para varrer os Zhentarim da região do Percurso e das Montanhas Espinha do Dragão e quem sabe invadir as terras ao norte do Mar da Lua. Rumores dizem que ele sonha em controlar uma cidade do Mar da Lua, talvez Phlan, e a julgar pelas forças que está reunindo, suas chances não são pequenas...

Yuki (NPC)
Ao voltar do Plano Arena (1373 CV), Yuki se dedicou ao fortalecimento da guilda de Vuorenos em Sembia e no treinamento do ladino. Não demorou para ela lhe revelar que ela queria na verdade criar um grupo de ninjas no ocidente, usando a guilda e sua crescente influência para recrutar aprendizes. Quando Yuki decidiu que Vuorenos havia completado seu treinamento, ela lhe disse que voltaria ao Vale da Adaga para resolver assuntos com a Aliança Eterna, antes de voltar ao oriente, se despedindo dele (1374-1375 CV). Junto com seu outro aprendiz, Wendell, ela descobriu o novo covil do vampiro Elendae Ereinion, da Sociedade das Sombras e ambos invadiram o local, destruindo várias crias vampíricas (1375 CV). Numa difícil luta contra o mestre vampiro, ela foi quase morta e o morto-vivo, também muito enfraquecido, conseguiu escapar. Wendell estancou seus ferimentos e a levou de volta à Torre da Aliança, onde ela foi curada por um clérigo de Chauntea. Depois que a Sociedade das Sombras foi derrotada, ela decidiu que era hora de voltar à Kozakura, mas quando soube, por intermédio de Sidarta e da arthurea Narya, que Faigon havia caído junto com o anjo caído Íblis nas Desolações da Destruição e do Desespero, ela retornou ao ocidente e integrou o grupo que viajou para Baator para descobrir o destino do líder da Aliança Eterna, composto por ela, Sidarta, Alias e Isca de Dragão (1378 CV). Com a diminuição das buscas, ela teve uma breve estada em Sembia com Vuorenos e depois viajou ao Plano das Sombras a procura de pistas sobre Jezebhell, a pedido de Sidarta e de lá ainda não retornou (1384 CV).


Outros Membros (mortos)

Adso Von Melk (Elfo, Oscar): morto na batalha contra Shakyra (1373 CV). Habita no Ninho do Dragão.

Akridon (Humano, Lúcio): morto em uma avalanche nos Picos do Trovão, causada por Dark PA (1368 CV). Habita no  Descanso do Guerreiro.

Alucard (Humano, Watson): morto nas batalhas pelo Vale da Adaga (1368 CV). Habita no Descanso do Guerreiro.

Anori D'orien (Drow, Watson): morto em uma embosca de gnolls em Cormanthor (1368 CV). Habita em Arvandor.

Arquibeltz (Evandro): assassinado por Shakyra (1373 CV). Habita na Casa da Tríade.

Asys (Elfo, Diego): morto na batalha contra Shakyra (1373 CV). Habita em Arvandor.

Atha (Humana, NPC): morta na batalha contra Shakyra (1373 CV). Habita na Encanto Primordial.

Cernunus (Minotauro, Coringa): morto por Nirsíria/Lorena (1373 CV). Habita em Descanso do Guerreiro.

Dark P.A. (Elfo, Oscar): morto ao não resistir ao processo mágico que reverteria o estado de petrificação no qual se encontrava (1368 CV).Habita em Arvandor.

Faihaz (Humano, Popenga): morto em uma arena em Sembia (1368 CV). Habita no Abismo.

Fiapo (Goblin, NPC): assassinado por Shakyra (1373 CV). Habita em Arvandor no Plano da Fuga.

Finrod (Elfo, Popenga): morto por Nirsíria/Lorena  (1373 CV). Habita em Arvandor.

Gau (Elfo, Fábio): morto na batalha contra Shakyra (1373 CV). Habita em Arvandor.

Ilith (Drow, Coringa): morta em uma armadilha nos subterrâneos de Hlondath, ativada por engano por Ruan Primo (1369 CV). Habita em Arvandor.

Khennya (Elfa, NPC): morta em combate com Lorena (1373 CV). Habita em Arvandor.

Kilgor D'orien (Halfling, Coringa): assassinado por Shakyra (1373 CV). Habita nos Campos Verdes.

Leona (Elfa, Sanclair): morto na batalha contra Shakyra (1373 CV). Habita em Arvandor.

Links (Elfo, Cleiton): morto na batalha contra Shakyra (1373 CV). Habita em Arvandor.

Loftin (Humano, Watson): morto em uma armadilha nos subterrâneos de Hlondath, ativada por engano por Ruan Primo (1369 CV). Habita no Descanso do Guerreiro.

Manon (Elfo, Igor): morto na batalha contra Shakyra (1373 CV). Habita em Arvandor.

Nongh (Meio-ogro, NPC): morto na batalha contra Shakyra (1373 CV). Habita no Descanso do Guerreiro.

Sedrine (Meia-elfa, NPC): morta em uma armadilha nos subterrâneos de Hlondath, ativada por engano por Ruan Primo (1369 CV). Habita em Arvandor.

Silvanus (Humano, Evandro): afogado após cair no Rio Ashaba, e ser arrastado pelaa correnteza gelada (1368 CV). Habita na Casa da Natureza.

Simon (Elfo, Oscar): morto na batalha contra Shakyra (1373 CV). Habita em Arvandor.

Singollo (Elfo, Peti): morto na batalha contra Shakyra (1373 CV). Habita na Casa da Natureza.

Yore (Elfo, Son): morto em uma embosca de gnolls em Cormanthor (1368 CV). Habita em Arvandor.

Yoshiro (Humano, Coringa): morto na batalha contra Shakyra (1373 CV). Habita na Casa dos Ancestrais.


Última edição por Xande em Sex Dez 10, 2010 3:45 am, editado 28 vez(es)
avatar
Xande
Maluco
Maluco

Mensagens : 578
Data de inscrição : 24/01/2010
Idade : 44
Localização : Kauhale

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum