minha historia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

minha historia

Mensagem por Kerollany em Ter Dez 13, 2011 12:42 am

Um novo olhar





Hoje posso dizer ser o primeiro dia da minha vida, estranho pensar assim , “o primeiro dia “ mas se vocês estivesse comigo saberiam que é verdade ,eu lembro do ultimo dia que eu o vi , estava sentada no quarto degrau da escada de casa , e olhava entre as grades do corrimão , ele gritava e ela chorava, ela dizia ter solução e que o amava e ele pedia para deixa-lo em paz , estava segurando uma bolsa bem grande , mas afinal para uma menina de apenas cinco anos tudo é grande , e muito maior eram os significados, em fim a briga acabou em um tapa seco em seu rosto e ela caiu sentada , e ele saiu pela porta , um homem estava lá , ele me deu um sorriso , parecia dizer que estava tudo bem , mas não estava, e iria piorar, eu abracei minha mãe e acho que aquele foi o ultimo momento de carinho que aconteceu entre nós , ela se tornou fria , e uns dois anos depois casou com o meu pesadelo, Thomas era um cara bem ambicioso e ele fez muito por ela , tenho que admitir , esse casamento pra ela foi ótimo , mas pra mim era só um cara tentando tomar um lugar que era do meu pai por direito , achei durante muito tempo que a culpa de ele ter sumido era dele , mas isso é outra parte , a escola elementar de Moonbelt é o ponto da minha verdadeira historia , minha adorável mãe sob influencia do amável maridinho me enfiou em um internato misto, uma dessas prisões para crianças que atrapalham a vida de seus pais , passava a semana inteira trancada nesse inferno , a única coisa boa era meu amigo Dillan, ele era um garoto tímido que conheci sentado no fundo do ônibus para o inferno, ninguém sequer olhava para ele , e foi isso talvez que nos fez tão próximos , nossa amizade era superforte , eu confiava nele e ele sempre me ajudava,





Lembro-me de chorar muitas vezes em seu colo, e reclamar da vida, e ele sempre me contava como era ruim os fins de semana em casa , de como contava os dias para me encontrar , realmente era muito bom entrar no ônibus e encontrar o mesmo sorriso acolhedor todas as Segundas feiras, eu aprendi a desenhar com o apoio dele, ele foi meu primeiro modelo, tadinho foram as mais tortuosas seis horas da vida dele, em suas palavras, pensar nele hoje em dia me dá um misto de sentimentos, mas o hoje ainda não é agora, ainda estou falando do ontem, e meu ontem acabou de forma trágica, sabem como é em toda escola, tem um cara lindo e popular, as meninas morrem por ele, e se matam para receber um “oi” da boca sagrada dele, eu não era diferente, eu lembro claramente de esta sentada no canto dos excluídos , embaixo de uma arvore , desenhando pela milésima vez a estatua da fonte da escola , quando ele me deu o seu “oi” sagrado, sabe aqueles momentos que você não sabe se responde se fica calado, se belisca o braço para ver se é verdade ,pois é , eu fiquei ali olhando para ele como uma boba , ele perguntou meu nome e fiou um tempão conversando comigo , eu como toda boa nerd ,perguntei se queria que eu o desenhasse ,ele aceitou e eu fiz um desenho rápido dele , e o dei de presente, suspirei por dias , e com o tempo eu fui ficando popular , mas o meu celular era irritante , toda hora tinha mensagens do Dyllan, ele foi se tornando um chato possessivo, “onde você está”, “achei que iriamos comer juntos” e etc... Era um saco, ele não entendia que agora tudo estava dando certo na aquela porcaria de escola finalmente esta valendo apena, eu era namorada de um dos populares, tinha amigas , não era apontada como esquisita , e assim que estivesse segura eu iria ajudar ele a ficar popular também , mas não ele não entendia, e queria minha atenção integralmente pra ele , se arrependimento matasse, um dia ele mandou sua decima mensagem do dia pra mim eu resolvi encontrar com ele , e explicar o que eu ia fazer , mas ele veio com uma historia louca de que estavam se aproveitando de mim e que tudo o que queriam era sexo e depois eu seria jogada fora , é claro que eu não acreditei , e fui tirar a limpo essa historia , nossa, sabe aquele momento da vida que o chão falta e você sente que esta caindo ,foi assim pra mim , eu escutei os meninos ,ele riam e diziam que eu fazia varias coisas , que topava tudo , nossa , minha língua não ficou na boca ,aparecei e disse que era mentira e eles riram mais , sai de lá arrasada, tudo era mentira e eu era a boba da vez , mas meu amigo estava lá para mais uma vez me dar seu ombro , era quinta , decidimos fazer um programa na minha casa para comemorar que tinha voltado a realidade, mas a sexta nunca chegou , eu sempre mantenho isso comigo , pra mim nunca é sexta feira, esse dia acabou ,sumiu do calendário, eu ia ser violentada pelos meninos dos sonhos do colégio, meu único amigo nesse mundo me defendeu e morreu no meu colo, eu olho pra minha roupa as vezes ainda tem o sangue , você nunca sabe o quanto o sangue é grudento até que você o toque , eu sinto o cheiro , a noite eu ainda escuto seu grito , bem , meu grande apoio em casa ,voltar para o inferno colegial , eu pedi tanto , eu tentei fugir , eu tentei tudo que podia mas voltei , entrar por aqueles corredores e ver os assassinos ali, vivendo tranquilos como se tudo fosse normal, me avisaram para ficar longe , a ta bom que eu iria deixar passar em branco , tudo bem não sabia o que fazer , mas eu tinha que fazer algo , aquilo era sufocante, eu chorava escondido, e dor nunca ia embora ,em uma noite , eu andei pelos corredores , tudo doía , lembrava do meu pai, da minha mãe ,do meu amigo , todos eram distantes , todos mortos de verdade ou apenas na minha cabeça, nossa como ela doía , eu bebia agua e parecia nunca me saciar, eu estava suando , queria sair correndo , me jogar em algum lugar escuro e ficar esquecida , para esquecer, queria morrer e ao mesmo tempo viver, eu andava cambaleando ,sentia minhas pernas bambas, escutava o balbuciar da minha colega de quarto , queria responder mas não conseguia, a rua me chamava, a noite me chamava , a lua me chamava , e eu atendi, olhei e gritei , gritei minha dor , minha frustração ,minha saudade , e doeu muito , eu mudei aquela noite, e a Megan me deu a oportunidade que queria , sair daquele lugar para sempre, sumir deste mundo que nunca foi meu , sabe quando você sai e não olha para traz , não tem o menor impulso para fazer isso , então você sabe o que eu fiz , eu não olhei para traz durante um bom tempo.






Kerollany
Noob
Noob

Mensagens : 59
Data de inscrição : 04/02/2010
Idade : 33
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: minha historia

Mensagem por Kerollany em Sab Fev 11, 2012 11:52 pm

Em alguns anos da minha vida tive a benção de esquecer, claro que é estranho, esquecer para muitos é ou seria uma maldição, mas para mim não foi, claro que lembrava que tinha deixado uma mãe fria para traz, que havia perdido para sempre meu melhor amigo, mas apesar de tudo isso eu descobri o que é ter uma família, éramos seis, o líder da família era o Roberto




Roberto

e no inicio eu até me interessei por ele, mas foi passageiro como uma chuva que vem, molha o chão e vai embora, meu amor de verdade foi Jey e sempre vai ser;


Jay



claro ele era apenas um menino quando nos conhecemos tinha apenas doze anos e eu era uma adolescente de quatorze, mas fazer amor com ele foi magico, eu me sentia no comando, eu era a sua dona e ele adorava isso, claro que tudo não foi sempre paraíso e alegrias, passamos por tantas coisas, fome, brigas, duvidas, tudo o que se pode esperar de uma família de cabeças quentes, Megan se tornou minha melhor amiga,




Megan

uma irmã que nunca tive , sempre podia contar tudo pra ela , e ela a mim , eu passei cinco anos sem voltar meus olhos para o passado que tanto me fazia sofrer , mas meu sono não era tranquilo , queria achar meu pai , saber o porque de tudo , ele teria me esquecido ? Onde teria ido? E o principal, ele era como eu? Eram respostas que eu queria, passei a frequentar muito mais a cidade e a biblioteca para usar os computadores, lembro-me no inicio de tudo ligar para minha mãe para dizer adeus, e lembro que foi fácil, mas o porquê dizer adeus para ele, era tão difícil, meu pai sempre foi uma lembrança semiapagada , mas mesmo assim eu me sentia atraída ao mistério de procurar por ele , e foi frustrante , desisti tantas vezes quanto retomei , as vezes saída decidida em não procurar mais e tudo acabava quando uma nova esperança surgia de um lugar que eu não sabia de onde , eu tinha que ir em frente , os anos foram gentis com minha família , mas foram cruéis comigo , Jey cresceu e ganhou novas curvas , e meu interesse por ele foi diminuindo a cada novo ano, ele não entendia e me amava com a mesma força de antes , do primeiro dia , eu o amava também , mas algo em mim me fazia desejar cada vez menos ele, em dias nada especiais me pegava na frente da escola da cidade , admirando os alunos que passavam , meninos , não mais do que doze anos , e me sentia excitada , imaginava estar com eles , no meu sexto ano na fazenda decidi terminar com Jey , foi a pior decisão da minha vida , eu sentia a dor de deixar alguém que amava , mas não conseguia mais estar com ele , minha mente me pregava peças , e isso parecia me enlouquecer aos poucos , ele claro não aceitou , eu entendia mas com o passar do tempo o fez se afastar de mim , eu por minha vez evitava saber de sua vida , e escondia a minha, passei a realmente visitar a escola local , mas com um novo intuito , o de caçar meninos, e quando a escola foi ficando difícil passei a procurar outros lugares , mas todos careciam do mesmo problema , todos cresciam , e eu os abandonava como quem come uma bela e deliciosa sobremesa e larga o prato vazio, tudo parecia ótimo , mas não era , eu sofria , era vazio de mais , não ter alguém para contar meu segredo , ter alguém em quem confiar e viver próximo , eu era um bicho selvagem , e isso me fazia ser distante, meu coração era do Jey mas meu corpo não.




Devon

Devon, o que dizer dele ,nos fomos do amor ao ódio varias vezes ,ele teve ciúmes , teve raiva e acho que teve amor também , cá pra nos eu sou linda , mas não tenho certeza da ultima afirmação , mas de uma coisa eu tenho certeza ele é um irmão de verdade , por muitas vezes ele esteve ao meu lado em varias loucuras , e não foram poucas , invadir um ônibus em movimento pra entra em uma fabrica de alimentos com minutos contados para entra sair e pegar todas as informações possíveis sobre o lugar e os funcionários , só ele mesmo para topar , e muitas outras coisas , com ele aprendia a não ter pena dos outros , não era como eles , eu era melhor e isso tirou muito dos meus medos e pudores também , mas ele tinha um segredo , eu esbarrei nele na época da fome , ele era capas de comer os outros , e parecia perder a cabeça por isso , quando fomos melhorando e a comida passou a ser farta , ele foi melhorando , mas ainda acho que quando ninguém esta vendo ele ainda caça os humanos , e finalmente cheguei ao calado Eric



Erik

, só falava quando realmente era necessário, a pouco tempo ele me contou sobre sua historia , na verdade todos me contaram um pouco sobre suas historias, Megan me falou uma vez que cada um de nós tem uma historia triste por traz , e que a tragédia nos acompanha ,e o que Eric me contou, e perder os pais como ele deve ter sido bem difícil ,as vezes me acho uma criança , meu amigos , meus irmãos , todo tiveram uma vida bem complicada e a minha nem parece ser tão ruim quanto a deles , o Roberto tem marcas dessa vida no rosto ,rugas de uma vida bem difícil, ele e disse certa vez , “Holly os humanos são ratos de um grande laboratório, basta que tomem choques que vão caminhar para onde você quiser “, eu sei que parece duro ou irreal mas ele tem o porque e com o passar do tempo eu fui aprendendo os seus motivos.

Kerollany
Noob
Noob

Mensagens : 59
Data de inscrição : 04/02/2010
Idade : 33
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: minha historia

Mensagem por Kerollany em Seg Fev 27, 2012 5:58 pm

Nos anos que passaram eu comecei a sentir falta da minha mãe e pensar em como ela estava e o que estava acontecendo com ela , os anos tem sido duros comigo , sinto falta do antigo Jay , sinto falta da inocência que me cercava e a falta de noticias novas sobre meu pai tem sido tem sido frustrante, e para completar tivemos o problema do proprietário da fazendo querendo vender, tivemos que procurar o cara e convencer que passar para nossa família , ele veio com um papo estranho de que ela era amaldiçoada e que os últimos morreram lá , em fim nada novo para mim pelo menos afinal os corpos do velho casal ainda estava no porão da casa, junto com o passado do Jay , foi bem difícil conseguir , mas depois de varias visitas a casa de repouso , e mais muita conversa com o Sr.º Tincols, consegui ficar com a fazenda em meu nome, mas nossos problemas apenas estavam começando, mas essa é outra parte , vamos a velha Moonbelt, sabe quando os nossos pais dizem que “cabeça vazia é oficina do diabo “ não é brincadeira , em alguns meses de puro tedio e muito controle de minha parte para não sair em busca de uma nova vitima para saciar meus instintos doentios , resolvi voltar a velha cidade para procurar pistas sobre meu pai, claro ele saiu ou ainda estava lá , eu só tenho que procurar rastros dele , e agora não seria tão difícil, ta seria sim... afinal a cidade é enorme e tem sei lá milhões de homens andando por lá , e eu não vou parar um por um para perguntar se largaram uma filha a mil anos atrás , bem , mas se havia uma pista dele seria em Moonbelt que encontraria .

Kerollany
Noob
Noob

Mensagens : 59
Data de inscrição : 04/02/2010
Idade : 33
Localização : Rio de Janeiro

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: minha historia

Mensagem por Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 5:18 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum